segunda-feira, janeiro 23, 2006

Coisas complicadas (uso do título autorizado por Sua Reverência Dr. Pacheco Pereira)


(C) anibal Cavaco Silva?...

domingo, janeiro 22, 2006

O novo Presidente

O lado humano do novo Presidente: Cavaco no cabeleireiro...

terça-feira, janeiro 17, 2006

Última hora

De acordo com as nossas previsões, pode ser que, nas eleições presidenciais, venha a haver segunda volta ou não.

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Sondagem Final e Definitiva!

Andam p'raí muitas empresas de sondagens com grandes tretas...tentando prever o desfecho das eleições do dia 22. Bom, nós já sabemos no que é que isso costuma dar: normalmente, na noite das eleições o pivôt de serviço de um dos "Especial Eleições" espalhados pelos vários canais lá vai perguntando: "Mas ó Sr. Sondagem, como é que foi possível que a sua empresa tivesse errado nas sondagens que foi realizando ao longo da campanha?". Ao que, se tudo correr como de costume, o Sr. sondagem responderá: "Bom, tem de ver que uma projecção não é o mesmo que uma sondagem, que o erro de amostragem para a sondagem era de XPTO%, logo, com um universo amostral de N, e tendo em conta que talvez a estratificação da própria amostra tenha sido distorcida por fenómenos de ordem socio-geográfica - penso que isto demonstra que apesar de termos errado até estavamos certos".
Ora muito bem. Nós, Má-Disposição, decidimos acabar com todas as incertezas, e exigimos, desde já, a obtenção de um exclusivo para todas as futuras sondagens publicadas nos órgãos de comunicação social.
A prova da nossa eficácia, reside na previsão que efectuamos (com 99,99999% de confiança) nos resultados do próximo Domingo:
Cavaco Silva-40% a 60%
Mário Soares-10% a 20%
Manuel Alegre-10% a 20%
Jerónimo de Sousa-5% a 10%
Francisco Louça-5% a 10%
Garcia Pereira-0,5% a 2%
E agora...só resta esperar por Domingo...

Depois digam-nos: quem acertou? Fomos nós ou foram as empresas de sondagens?
Ah pois é...

quinta-feira, dezembro 08, 2005

"o de Gaulle" kennediano

Cavaco Silva, candidato a Charles de Gaulle português (atenção: o candidato mais votado verá o seu nome seguido do cognome "o de Gaulle" - por exemplo, "Cavaco o de Gaulle"-, ao passo que o segundo mais votado será eleito Presidente da República - e é aqui que reside a verdadeira emoção...), articulou, hoje, as seguintes ideias:
-Portugal vive a situação mais difícil dos últimos 25 anos.
-Espanha terá um crescimento económico de 3 por cento, ao passo que Portugal crescerá zero.
-Há 15 anos Portugal era o "bom aluno" da União Europeia e agora nem por isso...
-Os portugueses possuem baixas qualificações, quando comparados com outros cidadãos de outros países.
(até aqui está tudo nos conformes...)
No entanto, parece que, num surto aparentemente inexplicável, o nosso candidato a "de Gaulle" teve uma escorregadela Kennediana quando afirmou que os portugueses devem perguntar o que "podem fazer pelo seu país", apelando a estes no sentido de não se resignarem ao pessimismo.
Este reposicionamento Kennediano confundiu, num primeiro momento, os analistas, já que o que está em jogo é a eleição de um "de Gaulle" e não a eleição de um JFK, pelo que tais afirmações nunca poderiam trazer dividendos políticos a Cavaco.
Contudo, e mais a frio, o Professor Marcelo terá comentado, numa confraria de apreciadores de vichisoise (eu disse: "mais a frio"...), que esta terá sido uma "jogada política genial", porquanto pedir aos portugueses que se perguntem sobre o que "podem fazer pelo seu país" contém duas potenciais vantagens:
1-Uma discreta incursão discursiva ao terreno Kennediano permite-lhe arregimentar mais votos, consolidando, ainda mais, a sua posição de favorito na corrida a "o de Gaulle" e...
2-...no caso de ser eleito "o de Gaulle", Cavaco poderá pedir aos portugueses que não o chateiem, uma vez que já lhes tinha explicado que eles é que tinham de pensar no que "podem fazer pelo seu país".

Como comentário final à pretensa escorregadela de Cavaco - mas também (e bem lá no fundo) como elogio à sua própria capacidade de análise - o Professor Marcelo terá rematado da seguinta maneira: "Genial!"

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Unidades

Pelos vistos, descemos para 8º lugar no consumo mundial de álcool.
É uma pena...já nem na beberragem estamos entre os melhores...(bom, pelo menos podemos dizer que continuamos a dar cartas na área da sinistralidade rodoviária).
O director do Instituto de Alcoologia, José Barrias, explicou, no Congresso Nacional de Psiquiatria e Saúde Mental, que "a descida deve-se a uma maior consciencialização sobre os perigos da ingestão excessiva e à passagem para o domínio da saúde pública do conjunto de problemas ligados ao álcool".
Noutro momento da sua intervenção, o psiquiatra considerou "como um consumo aceitável de álcool a ingestão de três unidades (copos) por dia para as mulheres e de cinco unidades para os homens".
GOSTEI IMENSO DESTE CONCEITO: "UNIDADES"!
Ora, vamos lá a fazer as contas:
1 unidade=1 copo=25 cl
Logo, o consumo aceitável para 1 homem/dia=5 unidades=5x25cl=125 cl
Por outro lado, o consumo aceitável para 1 mulher/dia=3 unidades=3x25cl=75 cl
Assim sendo, o consumo aceitável para 1 casal/dia=125+75cl=200 cl/dia=2 litros/dia!!!
Tendo em conta que 1 garrafa de vinho possui um volume de 75 cl, isto significa que é aceitável que, diáriamente, um casal compre e beba duas garrafas de vinho (150 cl) e ainda abra uma terceira garrafa para beber mais 2 unidades (25+25 cl) de tintol!...Tudo isto num só dia!
ESPECTÁCULO!
(e ainda há quem considere que a psiquiatria é uma coisa coerciva...)

Linguagem labial

De acordo com o Portugal Diário, Cavaco Silva desafiou os seus "adversários a dizerem o que farão em Belém"...
...De seguida terá segredado muito baixinho a um dos seus colaboradores: "Gostaria de ter uma ideia sobre o que se faz nesse cargo" (frase detectada e descodificada por Ricardo Beicinhos, especialista em linguagem labial).

segunda-feira, novembro 28, 2005

Problema Virtual

De acordo com o Jornal de Notícias, a ministra da Educação explicou, hoje, que "não há nenhum problema real de insegurança nas escolas", acrescentando que:
Há efectivamente um aumento de brigas entre alunos, mas que não é em nada preocupante.
Isto, apesar de no ano lectivo de 2004/2005 terem sido contabilizadas 1.232 ofensas à integridade física perpetradas nas escolas e 191 alunos, professores ou funcionários terem tido de receber tratamento hospitalar, na sequência das agressões.
Pouco de pois de terem sido proferidas as sábias palavras da ministra, começaram a surgir notícias estranhamente análogas noutros pontos do globo:
-O Primeiro-Ministro da Etiópia declarou que "não há um problema real de fome" no seu país
-O Presidente Bush afirmou que não é "realmente estúpido"
-Michael Jackson explicou que não tem "um problema real de pedófilia"
...e por fim...
-José Mourinho esclareceu que não é "realmente vaidoso"...
(encontrando-se a convalescer de umas valentes cabeçadas aplicadas pelo seu aluno "Neca Maneta", a docente Olinda Ramires Palhais da Cunha agradeceu à ministra da Educação por ajudá-la a "questionar a ilusão ontológica da dor" que ainda invade a sua cabeça, "também ela, ilusoriamente rachada a meio")